Aninha

Conheçam a Aninha!

Aninha é curitibana, polaca (bem torneada, segundo o padre – hahaha eu não podia deixar de comentar!), teacher, casada com o Flávio Cachorro Louco! Pensem numa pessoa fofa! (A Aninha, não o Flávio!).  Além disso, ela é uma pessoa sempre disposta a uma botecagem – qualidade muito importante numa pessoa – e sabe fazer caipirinhas de morango e canela ótimas! É mãe de dois felinos: a Betânia e o Bartolomeu, afilhados desta que vos fala!

Ah, a Aninha também conheceu o Copolla… não é fino isso?

 

 

Como começou a cozinhar?

Comecei bem antes mesmo de me conhecer como “gente”, meus pais trabalhavam fora e deixavam sobre minha responsabilidade, cuidar do meu irmão e alimentá-lo antes de irmos para a escola. No princípio era só macarronada, depois fui evoluindo para um arrozinho com bife a rolê, etc. Fora as bolachinhas de polvilho que fazia para levarmos. Hoje continuo alimentando, só que não mais meu irmão, mas sim o maridão.

Gosta de novidades na sua cozinha?

Mais ou menos, sou um pouco tradicional, do tipo que arroz só com sal e alho, nada de corante e “coisas” do tipo.

Doce ou salgado? Quais seus preferidos?

Aprecio os dois, mas sou super formiga atômica… Açúcar ativa!!!, Sabe como? Quase toda semana tem um bolinho doce aqui em casa.

O que não falta na sua cozinha?

Amor, carinho e vontade, sem esses ingredientes o “negócio” não funciona… Além disso, não falta, batata, tomate, shoyo e conserva de pimenta da minha sogra.
Suas especialidades?

Além da comidinha caseira do dia a dia. Meu bolo de cenoura e o varéneke da família Mykolich. “Skavurska”.

RECEITA – VARÉNEKE

Para a Massa você vai precisar de:

*  1 kg de farinha de trigo
*  2 gemas
*  1 colher de sopa de manteiga
*  ½ colher de sal
*  300 ml de água, levemente morna

Preparo da Massa: Misture as gemas, manteiga, sal e água. Bata bem, e aos poucos vá acrescentando a “anaconda”, ou melhor, a farinha até dar o ponto de massa. Amasse, amasse, amasse e amasse mais um pouco até ficar lisa e firme. Deixe descansar e vá fazer o recheio… Já voltamos com essa parte.

Para o recheio:

* ½ kg de batata

* requeijão cremoso

* salsinha e sal a gosto.

Preparo do recheio: Cozinhe a batata com sal, depois escorra e esprema (como se fosse fazer um purê, só que ao invés de colocar leite, coloque o requeijão), misture bem com o requeijão e com a salsinha (se preferir). Reserve e vamos voltar à massa.

Continuação massa: Abra a massa com um rolo, corte em rodelas (com um copo). No meio, coloque o recheio, dobre bem as bordas para não soltar. Coloque-o sobre um pano, enquanto faz os outros (na verdade, nem sei o porquê do pano, mas a “mamis” ensinou assim, então é melhor assim!).  Em uma panela com água fervendo e sal, coloque os varénekes. Quando subirem e ficarem na superfície, retire-os com auxilio de uma escumadeira. Regue com manteiga derretida e sirva!!!

OBS: O Varéneke pode ser servido com nata (creme de leite fresco), como é servido na culinária ucraniana.