Dia de Festa


Adriano Edmundo é um conhecido advogado e empresário do Alto Vale do Itajaí (SC), um bon vivant, que gosta de tomar aquele whiskynho da diretoria, uma cervejinha bem gelada ou um vinho (às vezes ele mistura tudo e sobe no telhado, mas não vem ao caso!) A distinta família do Adriano Edmundo é composta por ele (claro), sua paciente esposa Cláudia e seu filho adotivo, mas que puxou ao papai, Zé Bob.

Dr. Adriano Edmundo gosta de receber seus amigos na sua residência, que podem adentrar por aquela fina porta branca laqueada, para a área de festa, onde serão certamente bem servidos.

No último evento realizado na residência do ilustre Dr. Adriano Edmundo, seus convidados puderam degustar apetitosos camarões, aqui batizados em homenagem à tão distinto personagem:

Camarões à la Adriano Edmundo

  • 01 kg de camarões limpos (recomeda-se o camarão rosa), marinados em suco de limão, sal, pimenta do reino moída na hora, cebola de cabeça, um pedaço de pimentão e água;
  • Farinha de trigo, para empanar
  • 02 ovos batidos, com aprox. meia xícara de leite e 1,5 colher de sopa de trigo (fica parecendo uma massinha, bem molinha)
  • Farinha de rosca
  • Palitos de dente, para espetar os camarões

Modus Operandi

Os camarões vão um a um pro palito (previamente umedecidos), e passam nessa ordem: pelo trigo, pela massinha a base de ovos e pela farinha de rosca. Devem ficar bem cobertos, em cada uma das etapas.

Deve ser frito em óleo ou gordura, previamente aquecida, mas não muito quente, para não queimar por fora e ficar cru por dentro. Usamos um fogareiro com um disco que lembra uma wok, que pode-se puxar os camarões pro ladinho, a fim de ficarem bem sequinhos.

Rende aproximadamente 06 dúzias

Sirva bem quentinho, acompanhado de um limãozinho!

PS: Dr. Adriano Edmundo não é o autor da receita. Mas é que ele gosta muito, então, nossa homenagem a ele, que faz parte da Diretoria!

Fotos Cristiano Moreira, JC Fotografia

crédito fotos: Cristiano Moreira, JC Fotografia

Anúncios

Primeiro eu quero mandar um oi pra Márcia, simpática mamãe da Luiza, que sempre me apresenta alguma novidade quando vou lá! ;-)

O couscous marroquino entrou pro meu Top 5 de carboidratos – não em primeiro lugar, porque competir com batata, arroz e pasta é páreo duro!

Couscous marroquino é uma delíclia! Eu só conhecia couscous de farinha de milho, esse de sêmola é novidade pra mim! E é mais rápido que miojo! Era o que faltava na minha vida!

Não tenho certeza que foi assim que a Márcia faz, exatamente mas vai lá:

Para dois monstrinhos:

Duas xícaras de caldo de frango, em ebulição, com um fio de azeite; assim que a água ferver, desligar, deitar 02 xícaras de couscous, o suco de um limão, as raspas, umas folhas de hortelã bem picadinhas, pimenta calabresa e salsinha;  deixar os grãozinhos incharem. Assim que estiver gordinhos, regar com um tanto mais de azeite, levar ao fogo novamente, e juntar uma porcão generosa de azeitonas verdes picadas. Estão ligados que se azeitona cozinhar muito, pode amargar né?

Eu acho que combina super bem com frango!

Ah, claro que 02 xícaras de couscous para 02 pessoas é bastante, mas garanto que se sobra na hora, não dura muito tempo na geladeira!

E que venham as próximas experiências com couscous! ;-)

Sábado, churrasco por começar e eu troco uma idéia com o Leandro, do Cozinha Pequena pelo twitter, sobre a sobremesa. Ele sugere uma super fina e romântica mousse de chocolate branco, que eu consegui assassinar e transformar em  outra coisa. Também consultei a receita de mousse de chocolate branco com hortelã da Nigella, e surgiu uma coisa mezzo híbrida, mezzo improvisada, mezzo para salvar o prato.

A nata não tomou ponto de mousse, resolvi trocar o whisky por cachaça, adicionar limão… e bem… no final das contas… adicionar gelatina sem sabor!!

O resultado? Bem, ficou uma tortinha firme (claro), que poderia ter ficado mais aerada e com mais limão. Mas sobrou tão pouco que ou estava boa, ou a larica do povo era grande!!

A quem interessar possa:

  • Aprox. 300 g de chocolate branco picado
  • 500 ml de nata – creme de leite fresco
  • Um gole de schnapps ;-)
  • Suco de 1 limão
  • 02 pacotes de gelatina sem sabor, derretida conforme as intruções do pacotinho (acho que um só resolvia, mas…)

Derreta o chocolate em banho maria, acrescente a nata (1oo ml), a cachaça e o limão.

Se tudo der certo, a sua nata (os outros 400 ml) chegará ao ponto de chantilly na batedeira e não será necessário fazer a gambiarra da gelatina, e misturando o ganache com o creme de leite batido, terá a sua linda mousse pronta, mas como a uruca da cozinha vazia ainda não deixou essa casa…

Derreta a dita da gelatina, misture ao ganache e com o fouet, acrescente o creme de leite. Para tentar dar um certo charme ao doce falido, untei uma forma de fundo falso com manteiga e despejei a mousse.

Até que desenformou direitinho!

E está oficialmente reaberta a cozinha! ;-)

* Já falei que não sou amiga da gelatina sem sabor?

* Já falei que eu sou maníaca por formas de abrir e de fundo falso? ;-)

Arrisco-me a dizer que essa é minha massa preferida; porque leva alho e manteiga, porque é muito fácil e rápido de fazer e eu sujo só uma panela! :-)

 

Para ter sucesso, no entanto é necessário que a massa seja ótima e cozida al dente; a manteiga seja de boa procedência, o alho não seja daquele picado de potinho, a pimenta do reino e o parmesão sejam moídos na hora.

 

A hora que a massa vai pro escorredor, eu volto na panela um tantão de manteiga (com um fio de azeite para evitar queimar), muito muito alho muitíssimo bem picado (uso o mixer), sal, pimenta do reino e salsinha. Uma fritada rápida, volta o macarrão junto com o molho e voilá!

Basta servir, com uma porção generosa de parmesão! ADORO!!! Realmente me faz feliz!

 

Em comemoração ao aniversário do Rainhas do Lar, nos reunimos num almoço luxo no sábado no Hoo Café! Bem, digamos que o encontro, pela duração, foi suuuper bem sucedido! Afinal, um almoço até as oito da noite, não é para qualquer um, hein?

Imaginem um dia beeem lindo, céu azul, uns 30 graus (coisa rara), um lugar super agradável, bem verde, comida ótima e companhia idem?

Silvana, Sam, eu, Mel, Sandra e Andrea

 

 

Da esquerda para a direita: Silvana, Sam, Fernanda, Mel, Sandra e Andreia.

Oh mulherada animada, viu?

 

Apesar de nunca ter comido e preparado aspargos frescos, a hora que eu vi o maço por um preço decente no mercado – agora está na época, trouxe pra casa. Estava com dúvida quanto à parte fibrosa, se cozinhava no vapor, essas coisas.

Fui consultar minha amiga Maira, que é chef (fina!) e ela me deu a seguinte dica: Segurar os aspargos nas pontas e dobrar. Vai quebrar certinho o que é fibroso do que é comestível. E a parte de baixo se aproveita sim. Descartei a parte bem da ponta e o restante fatiei, como ela ensinou.

E assim, pela primeira vez, eu fiz aspargos frescos, somente passados na manteiga, com sal e pimenta. Aliás, não precisa de mais nada! O próximo farei com azeite de oliva, que também deve ficar bem saboroso.

Adorei!

aspargos

sandramendes

A Sandra é produtora de vídeo, faz fotonovelas mexicanas, ‘marketóloga’ e blogueira. Ela conhece várias técnicas de abordagem aos garçons para ele trazer mais a melhor cerveja, que ela aprendeu fazendo um curso com o Matita Pereira.  Ela é  mãe de dois felinos pretos lindões.  Essa semana a Sandra colabora com uma receita bacana do pai dela!

Como começou a cozinhar?

Olha, eu sempre gostei de comer bem, minha família por parte de mãe cozinha muito bem e sempre utilizam temperos nos quais a comida fica ainda mais gostosa. Meu pai gostava de cozinhar e fazia isso muito bem, minha mãe com o básico e ele com o diferente (sempre inventava algo). Algumas pessoas tem preguiça de fazer comida, como por exemplo chegar cansada em casa e comer qualquer coisa pronta ou semi pronta. Eu não tenho preguiça. Se eu estiver com fome vou para cozinha e começo a fazer algo, nem que seja um miojo, mas vai ser “aquele” miojo. Isso acontece desde que eu comecei a estudar a noite, ou seja, uns 15 anos. E sempre que faço, o cheiro adentra a casa, aí sempre alguém vem fazer companhia…

Gosta de novidades na sua cozinha?

Gosto, mas como não cozinho muito pela falta de tempo, acabo perdendo muita coisa. Acho muito legal inventar algo novo, uma comida diferente e bem temperada. Muito legal também, é descobrir um tempero novo para um prato já conhecido. As pessoas comentam que tem algo de diferente…sai da rotina…a maioria das pessoas tem paladar aguçado na minha família, e isso com certeza não passa desapercebido.

Doce ou salgado? Quais seus preferidos?

Salgado. Adoro tempero, sabor, aroma, coisas que os salgados ganham de longe. Um docinho depois agrada, mas não é impressindível.

O que não falta na sua cozinha?

Alho. Não pode faltar jamais. E uma bela colher de pau.

Suas especialidades?

Colocar cebola em alguns pratos sem que minha irmã perceba que tem cebola. Ela detesta. Eu também não como muito, mas o sabor dela é muito bom e sendo bem picada ou ralada, após o prato cozido, assado ou frito, ninguém percebe. Mas sem brincadeiras agora minhas especialidades são panquecas, feijão, risoto de frango com azeitonas verdes, batata suiça e macarrão com diferentes molhos ou alho e óleo. Hunn…que fome me deu agora…

Risoto do Celso – porção para 6 pessoas que comem bem.

Ingredientes:

  • 1 peito de frango grande sem pele
  • azeitonas verdes à gosto – escolha bem a azeitona pelo sabor
  • 6 xícaras de arroz
  • cebolinha, salsinha, sal
  • 2 tabletes de caldo de galinha

Modo de Fazer:

Coloque água até chegar a metade da panela de pressão (4kg)

Coloque 2 tabletes de caldo de galinha na água.

Leve ao fogo médio e espere o tablete derreter mexendo com a colher de pau.

Após os tabletes derreterem, coloque o peito de frango inteiro.

Deixe cozinhar com a pressão por mais ou menos 20 minutos, o peito de frango deverá estar a ponto de desfiar, caso ainda não esteja devolva ao fogo por mais alguns minutos após a pressão até ficar a ponto de desfiar.

Enquanto o frango cozinha…

Pique a cebolinha, salsinha e as azeitonas retirando o caroço e separe

Após o peito de frango cozido retire-o da água e deixe-o esfriar reservando-o. Na água que ficou na panela de pressão jogue o arroz e tempere com sal caso deseje.

Leve o arroz para cozinhar. Após o arroz estar cozido deixe-o descansar por uns dez minutos com a panela aberta.

Desfie o peito de frango com as mãos e reserve.

Após o arroz ter descansado jogue todos os temperos já picados e reservados anteriormente na panela de pressão e o peito de frango. Misture bem. Leve ao fogo novamente por alguns minutos mexendo frequentemente, cuidando para que não queime no fundo.

*Você também poderá utilizar as sobras de arroz para fazer esse risoto, apenas cuide com o sal.

Próxima Página »