Eu às vezes tenho dó da sardinha. Ela é tão bacana e gostosinha, já prontinha ali na lata, baratinha, dizendo: “me leva! me leva!” e as pessoas só olham pro atum, na lata mais bonita, cmais fashion, uma coisa assim meio “O Velho E O Mar”.

Bem, cá estou eu em defesa das sardinhas!

Paté de Sardinhas

Não é nem exatamente uma receita: basta misturar as sardinhas amassadas, um pouco de cebola picada, maionese (um tantinho de leite para desvirtuar a maionese), vinagre e temperar. Eu temperei com um tantinho de tempero caseiro pronto, e um pouco de pimenta calabresa.

Para comer com torradas de torradeira- daquela que pula!

pate de sardinha

Anúncios

Acho atum de latinha uma coisa tão versátil… sempre tenho uma latinha de atum e de sardinha no armário para me socorrer.

Não que esta fosse uma situaão de emergência, mas deu uma vontade!!

Paté de atum (ou de sardinha)

Amassar o atum, temperado com um pouco de suco de limão (ou vinagre). Juntar uma cebola picada muito miudo, duas colheres de maionese e um pouquinho de leite, para disfarçar o gosto da maionese.

Adicionar salsinha fresca picada, sal e pimenta.

Bom para comer com pãozinho, com bolacha… com uma cervejinha, com uma garrafa de vinho… ou um suco de maracujá! ;-)

O pãozinho? De novo, este daqui, desta vez temperado com pimenta calabresa e orégano.

paozinho com pate de atum

pao caseiro

Sim, eu sou a feliz proprietária de uma máquina de pão. Já a tenho há alguns anos, e é uma coisa muito prática para se ter, além de pão sair bem mais em conta do que na padaria.

Sempre faço pães pequenos, pois assim são consumidos fresquinhos; na maioria da vezes, quase meio pão vai quente, só com manteiga.

O que me incomodava no pão da máquina era o formato, aquele pão meio cúbico, cujas fatias de tamanho estranho não davam sanduíches decentes, na minha opinião. Resolvi esse problema tirando a massa da máquina e assando na forma de pão, no forno convencional.

Essa receita é de pão francês, que é ótimo, mas em nada lembra o pão francês de padaria. Adaptei a receita, que ficou:

01 copo de agua fria

01 colher de sopa de açucar

01 colher de chá de sal

02 copos de trigo peneirado

01 copo de semolina

01 colher de sopa bem cheia de azeite de oliva

01 colheres de chá  bem cheias de fermento biológico.

Bom, na máquina, basta colocar tudo nesta ordem. A semolina dá uma croc croc à casca do pão, qualidade deveras apreciada aqui nesta casa.

Na mão, não deve ser muito difícil também, mas a água deve ser morna, o açucar dissolvido nela para alimentar o fermento.

O que me incomoda de fazer pão é deixar crescer… eu esqueço do dito, ou fico olhando o tempo todo. Fora que a máquina aquece a massa levemente, o que facilita o crescimento do fermento.

E viva o pão! E a máquina de pão!

ps: não indico fazer massa de pizza na máquina de pão. por incrível que pareça, dá uma lambança danada.

Porque nem tudo inicialmente dá certo.

Tudo começou com umas isquinhas de frango, bem simples, só com alho, cebola e um aceto balsâmico só pra dar uma graça e uma corzinha no branquelo do frango.

Ficou gostoso, MAS, bem que eu deveria desconfiar, ficou meio seco. Peito de frango é sem-vergonha.

Calma! Nem tudo está perdido! O que eu fiz pra salvar:

Peguei todo o frango que sobrou, e passei no mixer. Reservei. No mixer novamente: alho, cebola roxa, tomilho, salsinha, sal, pimenta do reino e um teco de manteiga, pra ficar mais úmido. Juntei ao frango, mais um ovo caipira e farinha de rosca até dar liga.

Moldei os hamburguers  e levei ao forno.  Não precisa de muito tempo não, já que o frango neste caso, já estava pré-cozido. Mas dá pra fazer na boa com frango crú, e os temperos que mais te apetecerem! Alho poró no hamburguer de frango, por exemplo, é uma coisa deveras luxuosa.

parece carne vermelha, mas é frango!

parece carne vermelha, mas é frango!

O hamburguer fez um ótimo par com  aquele pãozinho da Bruna ;-)

Pra montar o hamburguer, eu fui só de requeijão e mostarda escura. Mas a ala menos light da casa foi de maionese e ketchup.

Pois é, amigos da Pimenta, se tem uma coisa que eu não gosto é de jogar comida fora. Tenho um marido avesso à comida requentada, então ‘reformar’ é a solução.

Esse pão é muito gostoso! E melhor, mais rápido de fazer do que ir à padaria e voltar!

Quem me passou a receita foi Dra. Bruna, leitora assídua e deveras participativa aqui do Pimenta Calabresa. Ela é pimentólatra assumida, e resolve qualquer poblema jurídico que a pessoa enquanto vivente meliante tiver com a lei e a sociedade.

Esse pão não requer que a pessoa seja iniciado na arte da panificação.

Pãozinho da Bruna

  • 02 xícaras de trigo
  • 3/4 de xícara de leite
  • 04 colheres de chá de fermento de bolo
  • 02 colheres de sopa de manteiga
  • 01 colher de chá de sal

Pré-aqueça o forno a 230 graus  porque é jogo rápido!

Peneire o trigo, o sal e o fermento. Adicione a manteiga (dei uma derretida pra facilitar) e o leite. Sove até ficar homongêneo.

Molde as bolinhas e asse em forma sem untar, por cerca de 15 minutos.

Rendeu 04 pães, mais ou menos do tamanho de pão de hamburguer.

Considerações:

  • Acho que mais fermento não faria mal ao pão;
  • Na próxima vez, substituirei uma xícara de trigo por uma de semolina.

Certamente esse pãozinho vai aparecer muitas vezes aqui! Já fiquei imaginando com um paté, uma manteiga temperada, com nata e geléia, pra comer com sopa….

pãozinho da Bruna

Salgado de Frango

Rocambole de frango e requeijão, da operação limpa geladeira. Tinha só um restinho de frango refogado ao almoço.  Acho bacana porque dá uma cara nova pro quase sempre inevitável  “restô dontê”.

A massa? Fui sem vergonha e usei uma pronta, que se compra em rolo no supermercado.
Esses rocamboles podem ser feitos para uma pessoa só – como foi o caso, ou para um bando, quando aparece alguém de surpresa. Dá para rechear com o que estiver dando bobeira na geladeira: presunto, queijo, peito de peru, queijinho (ricota), brócolis…

Basta abrir a massa, acrescentar o recheio, fechar, colocar um gergelim para dar uma gracinha, assar em forma untada, até ficar doiradinho.

Dependendo a massa, pode ser necessário pincelar com gema para ficar dessa cor.