Arrisco-me a dizer que essa é minha massa preferida; porque leva alho e manteiga, porque é muito fácil e rápido de fazer e eu sujo só uma panela! :-)

 

Para ter sucesso, no entanto é necessário que a massa seja ótima e cozida al dente; a manteiga seja de boa procedência, o alho não seja daquele picado de potinho, a pimenta do reino e o parmesão sejam moídos na hora.

 

A hora que a massa vai pro escorredor, eu volto na panela um tantão de manteiga (com um fio de azeite para evitar queimar), muito muito alho muitíssimo bem picado (uso o mixer), sal, pimenta do reino e salsinha. Uma fritada rápida, volta o macarrão junto com o molho e voilá!

Basta servir, com uma porção generosa de parmesão! ADORO!!! Realmente me faz feliz!

 

Lindos filés altos, vão para a panela de ferro beeeem quente com mateiga temperada com chimichurri e sal.

Não precisa de mais!

 

 

* Eu costumo comprar chimichurri seco no Mercado Municipal, e a partir dele se faz o molho para acompanhar churrasco; no entanto, eu o uso como tempero em carnes, visto que é um mix de cheiro verde, pimenta calabresa, orégano, alho, cebola y otras cositas más. Para saber mais sobre o chimichurri, clique aqui e descubra por quem entende!

Apesar de nunca ter comido e preparado aspargos frescos, a hora que eu vi o maço por um preço decente no mercado – agora está na época, trouxe pra casa. Estava com dúvida quanto à parte fibrosa, se cozinhava no vapor, essas coisas.

Fui consultar minha amiga Maira, que é chef (fina!) e ela me deu a seguinte dica: Segurar os aspargos nas pontas e dobrar. Vai quebrar certinho o que é fibroso do que é comestível. E a parte de baixo se aproveita sim. Descartei a parte bem da ponta e o restante fatiei, como ela ensinou.

E assim, pela primeira vez, eu fiz aspargos frescos, somente passados na manteiga, com sal e pimenta. Aliás, não precisa de mais nada! O próximo farei com azeite de oliva, que também deve ficar bem saboroso.

Adorei!

aspargos

A farofa da Vó Tereza é ícone da casa. A Vó fazia, a Motsia faz, la hermanita y yo fazemos também, da maneira mais ortodoxa.

Sempre nos finais de semana de churrasco lá em casa, tem que ter a farofa da Vó e a maionese da Oma Elisa. A farofa sempre foi responsabilidade da hermanita, e a maionese minha.

Quando o marido pediu farofa, lá fui eu pro fogão, sem receita, sem quantidades certas:

Uma colher generosa de manteiga derretida na panela com um fio de azeite para a manteiga não queimar, e farinha de mandioca aos poucos, até chegar no ponto. Nós gostamos mais úmida. Só acertar o sal e mais nada.

Familiares menos ortodoxos fritam cebola e bacon na manteiga, antes de por a farinha. Fica gostoso, mas aí já não é mais a farofa da Vó.


farofa

Eu tempero manteiga de muitas maneiras, essa é só uma delas:

Bati no mixer alguns dentes de alho, salsinha, tempero caseiro e manteiga (esqueci de por pimenta).

Ficou essa pasta bonita aqui. Para usar no macarrão, fritei um pouco e misturei com a massa.

manteiga temperada

Também serve para comer com torradas, fritar bifes, etc etc. Eu sei que se tiver manteiga temperada na geladeira, meu marido também não vai morrer de fome enquanto eu estiver fora.

Legumes sauté nunca são demais! Mas é importante dar uma variada, pra não ficar chato.

Batatas bolinha, brócolis e ervilhas cozidas (tudo junto né? menos panela pra lavar) com um pouco do tempero caseiro, escorridos, ganham um tanto de manteiga, pimenta do reino moída na hora e alho frito.

Porque alho tem tudo a ver com batatas e com brócolis!

legumes sauté

Sauté: dourar legumes em pouca gordura.

milho sauté

Tirar o milho cru da espiga e dourá-lo na manteiga com sal e pimenta. Uma ervinha também vai bem, mas… sabe como é, acabou não indo!